Rússia encerra operação militar na Chechênia

A Rússia determinou o encerramento de sua operação de combate ao extremismo islâmico na Chechênia, uma decisão que pode levar à retirada de dezenas de milhares de soldados da região sulista, devastada por duas guerras separatistas nos últimos 15 anos. Durante a incursão, as operações militares russas levaram a toques de recolher, restrições ao acesso de jornalistas e imposição de limites para voos civis, entre outras medidas. O encerramento foi ordenado pelo presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, e entrou em vigor hoje, anunciou a Comissão Nacional de Combate ao Terrorismo.

AE-AP, Agencia Estado

16 de abril de 2009 | 11h05

"Hoje, a República da Chechênia é, como reconhecido por milhares de convidados, entre políticos, empresários, jornalistas e gente do mundo cultural, uma região pacífica e em redesenvolvimento", disse presidente checheno, Ramzan Kadyrov, citado pela agência de notícias Interfax. "O fim da operação antiterrorismo apenas ajudará o crescimento econômico da república", prosseguiu ele, um ex-rebelde separatista que hoje está aliado ao Kremlin. Grupos de defesa dos direitos humanos o acusam de governar a região com brutalidade e de reprimir duramente manifestações de posições divergentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.