Vladimir Velengurin/Emergency Situations Ministry Photo via AP
Vladimir Velengurin/Emergency Situations Ministry Photo via AP

Rússia encontra primeira caixa-preta de avião que caiu no Mar Negro

Gravador de dados da aeronave tem informações que podem ajudar os investigadores a identificar as causas do acidente que matou as 92 pessoas a bordo; agência diz que governo russo determinou paralisação de todos os voos com o TU-154

O Estado de S. Paulo

27 Dezembro 2016 | 09h21

MOSCOU - A Rússia encontrou o primeiro gravador de dados do avião militar que caiu no Mar Negro matando todas as 92 pessoas a bordo, informou o Ministério da Defesa do país nesta terça-feira, 27, em meio a informações não confirmadas de que as autoridades determinaram a paralisação de todas as aeronaves de mesmo modelo.

O gravador tem informações que podem ajudar os investigadores a identificar as causas do acidente de domingo, que matou dezenas de cantores e dançarinos do coral do Exército Vermelho a caminho da Síria para entreter as tropas russas antes do Ano Novo.

Até agora os investigadores disseram que um erro do piloto ou uma falha técnica, e não o terrorismo, são as causas mais prováveis da queda no mar do Tupolev-154, pertencente ao Ministério da Defesa. A primeira caixa-preta, que foi encontrada por um veículo submarino controlado remotamente a uma profundidade de 17 metros a 1,6 quilômetro de Sochi, será enviada ao Ministério da Defesa para análise.

"Durante a noite nas operações de busca outros cinco fragmentos do avião foram encontrados", disse o ministério em comunicado. Entre os fragmentos estão pedaços da fuselagem e do motor. 

A agência de notícias Interfax citou uma fonte não identificada que afirmou que a Rússia determinou a paralisação de todos os TU-154 até que a causa do acidente de domingo seja esclarecida. Não houve confirmação oficial sobre essa medida.

O Ministério da Defesa disse que o avião que caiu, uma aeronave da era soviética fabricado em 1983, havia sido usado pela última vez em setembro e passou por reparos mais significativos em dezembro de 2014. Pilotos russos afirmam que o TU-154 tem um histórico razoável de segurança, embora as principais companhias aéreas russas tenham substituído o modelo por aeronaves de fabricação ocidental.

A Interfax, citando uma fonte legal, disse que um segundo gravador de dados do voo também foi encontrado nos destroços, mas ainda não foi trazido à superfície. O Ministério da Defesa disse que as equipes de busca e resgate já recuperaram 12 corpos e 156 fragmentos de corpos. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.