Rússia entrega lote de mísseis antiaéreos ao Irã

Apesar da oposição frontal dos Estados Unidos e de Israel, a Rússia entregou ao Irã os primeiros sistemas de mísseis antiaéreos Tor M-1 nesta sexta-feira. A transação acontece em virtude de um contrato assinado no final do ano passado pelos dois países. "A entrega começou. Os primeiros mísseis já se encontram em Teerã", informou nesta sexta-feira um porta-voz da indústria militar russa à agência Interfax. Durante as últimas semanas, militares iranianos estiveram na Rússia para receber treinamento para o uso destes sistemas. Os mísseis tem alcance médio e caráter defensivo, segundo Moscou. Apesar de americanos e israelenses insistirem o contrário, o consórcio estatal Rosoboronexport assegurou nesta sexta-feira que o "Irã é um país soberano e não é objeto de sanções internacionais para que lhe impeçam de adquirir armamento". Moscou e Teerã assinaram no final do ano passado um contrato de provisão que fornecerá nos próximos três anos 29 sistemas de mísseis antiaéreos russos Tor M-1 por um valor de US$ 700 milhões. Israel qualificou esta operação como "uma punhalada nas costas", enquanto os EUA asseguraram que os Tor M-1 contribuiriam para a instabilidade no Oriente Médio. Por outro lado, o ministro da Defesa russo, Serguei Ivanov, declarou que a venda deste material de guerra não alterará a correlação de forças na região, pois estes foguetes são "estritamente defensivos e não podem ser utilizados para lançar mísseis de superfície". Cada sistema Tor é dotado de oito foguetes terra-ar com um alcance de 1,5 a 12 quilômetros de distância e entre 10 metros e 6 quilômetros de altitude. Os Tor M-1 são os "únicos no mundo" capazes de detectar, identificar e seguir até 48 alvos simultaneamente, além de abater, ao mesmo tempo, dois objetos no ar que voem a alturas entre 20 a 6.000 metros. Desta forma, segundo os especialistas russos, o Irã poderá fazer frente a uma possível invasão ou um ataque israelense contra suas centrais elétricas ou nucleares, como ocorreu em 2003 com o Iraque. Protocolo Gore-Chernomirdin Com este contrato, a Rússia descumpre o protocolo Gore-Chernomirdin, assinado em meados da década de 1990 pelo vice-presidente americano, Al Gore, e o primeiro-ministro russo, Victor Chernomirdin. Segundo este protocolo, Moscou se comprometia a não assinar novos acordos de venda de armas com Teerã, enquanto Washington garantia a Moscou uma cota no mercado internacional de armamentos. Segundo o relatório do Congresso americano, a Rússia superou em 2005 os Estados Unidos em venda de armas aos países em desenvolvimento, graças aos contratos assinados com países rechaçados por Washington como o Irã e a Venezuela e potências emergentes como China e Índia.

Agencia Estado,

24 Novembro 2006 | 15h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.