Rússia espera que inspeções no Iraque antecipem fim do embargo

A Rússia espera que o trabalho dos inspetores da ONU no Irque se realize com equilíbrio e profissionalismo e antecipe uma solução para a crise que leve "à suspensão e ao cancelamento do embargo contra Bagdá", disse hoje o chanceler russo, Igor Ivanov, reiterando que não vê "solução militar para o problema" iraquiano. Ivanov falou aos jornalistas à margem da visita a Moscou do rei da Jordânia, Abdallah II, que se reuniu com o presidente Vladimir Putin no Kremlin e manifestou um ponto de vista coincidente com o da Rússia sobre o tema do Iraque. Segundo o ministro de Relações Exteriores russo, "a resolução 1441 do Conselho de Segurança abre as portas não apenas para uma solução pacífica da situação como também para a perspectiva de uma superação do regime de sanções". Entrevistado pela agência russa Itar-Tass em Nova York, onde encabeça uma delegação russa perante a ONU, o vice-chanceler, Yuri Fedotov, destacou que Moscou considera que os inspetores devem "relatar ao Conselho de Segurança apenas graves violações do Iraque".Fedotov observou que o fato de encontrarem "programas químicos ou biológicos não-militares não poderá ser considerado uma grave violação" e repetiu que o governo de Moscou ficaria contrariado diante de eventuais ações militares unilaterais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.