Rússia estuda congelar preços para conter inflação

O governo russo está considerando congelar preços de 40 produtos "socialmente importantes", como uma tentativa de segurar a inflação do país, que está perto de atingir seu nível mais alto em quatro anos.

Estadão Conteúdo

09 de outubro de 2014 | 14h06

O ministro de Comércio e Indústria da Rússia, Denis Manturov, afirmou nesta quinta-feira que a lista inclui 40 produtos. A medida vem depois de a inflação anual do país ter acelerado para 8% em setembro, de 7,6% em agosto, logo após a Rússia ter banido a importação de alimentos oriundos dos Estados Unidos e de alguns países da União Europeia, como resposta às sanções econômicas aplicadas pelo Ocidente.

Os preços para carnes e aves subiram 16,8% nos 12 meses encerrados em setembro, enquanto os preços para peixes e frutos do mar avançaram 14,1% no mesmo período. Economistas afirmam que a intervenção estatal nos preços pode resultar em distorções no mercado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiainflaçãopreços

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.