AP
AP

Rússia estuda participar da futura missão da ONU na Síria

'Estamos examinando essa possibilidade. Mas, por enquanto, não posso dizer nada concreto', disse ministro de Relações Exteriores russo

Efe,

09 de abril de 2012 | 07h45

MOSCOU - A Rússia estuda a possibilidade de participar da missão de observadores que a ONU deve desdobrar na Síria caso prospere o plano de paz do mediador internacional Kofi Annan, afirmou nesta segunda-feira, 9, o vice-ministro de Relações Exteriores russo, Gennady Gatílov.

Veja também:

linkExigência síria inviabiliza plano de paz

linkPossível fracasso na missão de Annan põe ONU em alerta

"Atualmente estamos examinando essa  possibilidade. Mas, por enquanto, não posso dizer nada concreto", disse Gatílov à agência "Interfax", ressaltando que é um "assunto bastante sério e requer estudos adicionais".

O vice-ministro de Exteriores lembrou que, de acordo com o plano de Annan, nesta terça-feira as autoridades da Síria devem retirar suas tropas das cidades e que para o dia 12 devem cessar todas as ações de violência, tanto das forças governamentais como da oposição.

"Depois, veremos como se desenvolve a situação", disse Gatílov, que não excluiu que já nesta semana Annan relate o andamento de sua missão ao Conselho de Segurança da ONU.

O diplomata russo reiterou o respaldo de Moscou à missão mediadora do ex-secretário-geral da ONU, que atua como enviado especial do organismo mundial e da Liga Árabe na Síria.

Segundo dados da ONU, desde o início dos protestos na Síria em meados de março de 2011, mais de nove mil pessoas morreram, enquanto mais de 200 mil se deslocaram para outras áreas dentro do país e 30 mil se refugiaram no exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússia, Síria, ONU, Kofi Annan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.