Rússia estuda proibir passagem de voos da UE e dos EUA pelo país

Decisão de vetar as companhias aéreas ocidentais, segundo o primeiro-ministro Dmitri Medvedev, ainda não foi tomada

O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 08h34

MOSCOU - O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, disse nesta quinta-feira, 7, que Moscou considera proibir a passagem de voos comerciais vindos da União Europeia e dos EUA sobre seu território. O governo russo já decidiu banir voos vindos da Ucrânia.

A decisão de vetar as companhias aéreas ocidentais, segundo Medvedev, ainda não foi tomada. O premiê pediu que a UE e os EUA revisem as sanções impostas à Rússia, caso contrário, novas medidas serão impostas envolvendo importações de aviões, navios, carros e outros produtos industriais. Mais cedo, o país decidiu proibir a importação de alimentos da UE, EUA e Austrália. 

"Não queremos que as coisas cheguem a esse ponto e eu sinceramente espero que nossos parceiros adotem uma visão mais econômica e pragmática acima de políticas mal formuladas", disse Medvedev. "Nosso governo entende a importância dessa cooperação e temos uma avaliação realista de nossa própria capacidade."

Mais conteúdo sobre:
RússiaUEEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.