Mohammed Al-Rifai/AFP
Mohammed Al-Rifai/AFP

Rússia faz ataques aéreos na Síria após atentado 

Turquia e Rússia, que apoiam lados opostos na guerra da Síria, concordaram em março com um cessar-fogo e realizam patrulhas conjuntas para tentar conter uma escalada dos confrontos na região

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2020 | 22h19

MOSCOU - Uma bomba colocada na estrada por rebeldes sírios explodiu nesta terça-feira, 14, perto de uma patrulha conjunta russo-turca, no norte da Síria, ferindo três soldados russos, informou o Ministério da Defesa da Rússia. A explosão, que ocorreu perto de Ariha, na Província de Idlib, destruiu dois veículos blindados, um russo e um turco, segundo o ministério.

Alguns soldados turcos também teriam ficado feridos na ação. Após a emboscada, o Ministério da Defesa da Turquia disse que os dois veículos foram “parcialmente danificados”, mas que ninguém havia morrido. Como retaliação, jatos russos bombardearam áreas controladas pelos rebeldes sírios. Grupos humanitários disseram que cinco civis ficaram feridos nos ataques aéreos e centenas fugiram temendo uma retomada das investidas por aviões da Rússia.

Turquia e Rússia, que apoiam lados opostos na guerra da Síria, concordaram em março com um cessar-fogo e realizam patrulhas conjuntas para tentar conter uma escalada dos confrontos na região. Ancara apoia os rebeldes que lutam contra o presidente Bashar Assad. Moscou apoia Damasco. As patrulhas ocorrem em uma última grande área ainda mantida pela oposição síria, após nove anos de guerra civil.

Um vídeo não confirmado postado hoje em uma rede social foi divulgado pela agência de notícias RIA, da Rússia, e mostra uma forte explosão no momento em que um comboio de veículos blindados passava pela estrada./ REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Síria [Ásia]Turquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.