Rússia faz teste e lança míssil intercontinental

A Rússia realizou um teste bem-sucedido com um míssil intercontinental, com a intenção de prolongar o tempo de vida útil da arma. Foi o primeiro lançamento de um projétil desse porte desde o fim da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, em 1991. O RS-20V Voevoda, chamado pela Otan de SS-18 Satã, deixou a base na região de Orenburg, ao sul dos Montes Urais, atingindo o alvo previamente determinado no extremo leste da península de Kamchatka, a mais de 6 mil quilômetros de distância."O principal resultado desse lançamento foi a confirmação das características técnicas do míssil, o único do mundo", informaram as Forças de Estratégia de Mísseis da Rússia, em comunicado. "O lançamento provou sua habilidade em completar tarefas de combate enquanto o seu tempo de vida for estendido."Regularmente, a Rússia vem realizando testes com seus mísseis para medir a suas potencialidades, uma vez que, sem recursos para fabricação de novas armas, o tempo de uso dos armamentos tem sido prolongado. Militares dizem que o arsenal de 150 mísseis SS-18 poderá ainda ser utilizado por mais dez ou 15 anos, mesmo que os foguetes tenham já alcançado o prazo de validade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.