Rússia identifica suicida que matou 35 em aeroporto de Moscou

Terrorista era jovem de 20 da região do Cáucaso; turistas estrangeiros eram alvo de ataque

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2011 | 12h08

MOSCOU - Um jovem de 20 anos, da região do Cáucaso, foi o suicida responsável pela explosão que matou 35 e feriu outras 180 pessoas no maior aeroporto de Moscou, no dia 24 de janeiro, segundo investigadores russos.

 

Após cinco dias de silêncio a respeito do atentado, investigadores federais disseram que turistas estrangeiros eram um dos alvos deliberados do suicida, o que marca uma mudança no padrão de ataques no país, sempre direcionados a civis russos. Entre as vítimas estavam britânicos, alemães, austríacos, entre outros. Havia 16 russos entre os mortos, outros 12 não foram identificados.

 

Rebeldes islâmicos e separatistas do Cáucaso, uma região montanhosa da Rússia, desde o início foram apontados como suspeitos do ataque ao Domodedovo, considerado o aeroporto mais moderno da capital. Mas embora tenham identificado o agressor, as autoridades disseram não ter certeza sobre o grupo responsável.

 

"Sabemos o nome do terrorista, mas não o divulgaremos. Os investidores procuram identificar e deter os mentores do ataque", diz um comunicado distribuído pelo governo russo.

 

Nos últimos anos, rebeldes da Chechênia se responsabilizaram por vários ataques, entre eles o do metrô de Moscou, em 2010, e outro contra o mesmo Domodedovo.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaatentadoaeroporto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.