Rússia impõe sanções a políticos americanos como resposta aos EUA

'Vamos responder adequadamente a cada impulso hostil', afirmou o Ministério das Relações Exteriores russo

O Estado de S. Paulo,

20 de março de 2014 | 18h16

MOSCOU - A Rússia impôs sanções contra nove autoridades americanas nesta quinta-feira, 20, e alertou o Ocidente que vai rebater "todo impulso hostil". Mais cedo, o presidente americano, Barack Obama, anunciou novas sanções à Rússia pela anexação da Crimeia.

Os vice-conselheiros de segurança nacional dos EUA Ben Rhodes e Caroline Atkinson e os senadores John McCain, Harry Reid, Mary Landrieu, Dan Coats e Robert Menendez estão entre os americanos impedidos de entrar na Rússia, informou o Ministério das Relações Exteriores.

Os outros são o presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, John Boehner, e Dan Pfeiffer, assessor de Obama.

"Nós temos alertado repetidamente que as sanções são um instrumento de dois gumes e que vão atingir os EUA como um bumerangue", disse o Ministério das Relações Exteriores russo. "Não deve haver nenhuma dúvida: nós vamos responder adequadamente a cada impulso hostil."

Na segunda-feira 17, Obama assinou um decreto impedindo 11 autoridades russas, ucranianas e da Crimeia de entrarem nos EUA e congelando quaisquer bens deles em território americano. Os afetados são acusados por Washington de estarem envolvidos na anexação - considerada ilegal pelas autoridades americanas - da Crimeia pela Rússia./ REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Crise na UcrâniaEUARússiasanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.