Rússia inicia envio de urânio ao Irã

Bush diz que, com entrega de combustível russo, Teerã não necessita mais de programa de enriquecimento

REUTERS, AP E AFP, O Estadao de S.Paulo

18 de dezembro de 2007 | 00h00

A Rússia anunciou ontem que começou a fornecer combustível para a central nuclear que está construindo na cidade de Bushehr, sul do Irã. A instalação está no centro das tensões internacionais por causa do programa atômico iraniano.Antecipando-se às críticas, a Rússia disse que o governo iraniano deu garantias de que o combustível nuclear não será utilizado para propósitos militares e pediu a Teerã que abandone seu programa de enriquecimento de urânio.Moscou sempre sustentou que não há evidências de que o Irã tenha intenção de estender seu programa nuclear para a obtenção de armas. Essa posição foi reforçada no início do mês por um relatório de inteligência dos EUA, segundo o qual o Irã paralisou seu programa de armas nucleares em 2003.A Casa Branca indicou que o envio de combustível ocorreu com o conhecimento dos EUA. O presidente George W. Bush disse que o Irã é "um perigo para a paz" e o envio de combustível nuclear russo constitui uma razão adicional para que Teerã suspenda seus programas sensíveis. "Se os russos enviam urânio ao Irã - algo que apóio -, então, os iranianos não precisam enriquecer urânio", declarou.Um funcionário de alto escalão do programa atômico iraniano disse que seu país não deterá seu programa nuclear sob nenhuma circunstância e revelou que Teerã retomou a construção de uma segunda central nuclear, em Darkhovein. O Irã diz que seu programa de enriquecimento de urânio tem fins civis.A Rússia, que está construindo a primeira central nuclear do Irã em Bushehr, sob um contrato de US$ 1 bilhão, tinha adiado por vários meses o envio de combustível, alegando falta de pagamento. Mas, para analistas, a verdadeira razão foi a preocupação em Moscou pelo estilo radical do presidente Mahmud Ahmadinejad, e o risco de enviar urânio a um país sob sanções internacionais por seu programa nuclear.Na semana passada, Moscou anunciou que as disputas com Teerã sobre a construção de Bushehr tinham sido resolvidas e enviaria o combustível, sob a supervisão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O primeiro carregamento, enviado no domingo, foi de 163 cilindros com urânio U-235 enriquecido a 3,62%. A Rússia assegura que, pelo fato de ser pouco enriquecido, o urânio não serve para armas nucleares. CENTRAL DE BUSHEHRReatores - A construção dos dois reatores nucleares de Bushehr começou em 1974 com a ajuda da empresa alemã Siemens e cientistas francesesSuspensão - O projeto foi suspenso com a queda do xá Reza Pahlevi, na Revolução Islâmica de 1979. A instalação foi danificada durante a Guerra Irã-Iraque (1980-88) e o equipamento, saqueadoContrato russo - O projeto foi retomado pela Rússia em março de 2006, sob um contrato de US$ 1 bilhãoDisputa - Em fevereiro, a Rússia anunciou a suspensão dos trabalhos de construção de Bushehr, pois Teerã não estava em dia com os pagamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.