Rússia intensifica ataques à Geórgia, diz Tbilisi

A Rússia ignorou os apelos por um cessar-fogo e as advertências diplomáticas dos Estados Unidos e intensificou hoje os ataques à Geórgia, informou o governo instalado em Tbilisi. Depois de ter tomado o controle da região separatista georgiana pró-Moscou da Ossétia do Sul, aviões de guerra russos voltaram a bombardear a Geórgia, informou Tbilisi. Com a Rússia informando que mais de 2.000 pessoas já morreram no conflito, a Europa lidera os esforços diplomáticos para pôr fim às hostilidades por intermédio dos chanceleres da França, Bernard Kouchner, e da Finlândia, Alexander Stubb.Os emissários europeus estiveram hoje em Tbilisi para negociar com o governo da Geórgia. Amanhã, eles deverão se encontrar com o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, em Moscou. O presidente da França, Nicolas Sarkozy, também deverá ir a Moscou. A França ocupa atualmente a presidência de turno da União Européia (UE). Em Pequim, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse ao primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, que a ofensiva de Moscou é "inaceitável". Os EUA são os principais aliados da Geórgia no Ocidente."Mais de 50 aviões russos estão voando sobre a Geórgia. Tbilisi foi bombardeada. As bombas atingiram o povoado de Kojori e a montanha de Makhata", informou o Ministério das Relações Exteriores da Geórgia. Já o Ministério de Interior informou que os aviões russos bombardearam radares no aeroporto de Tbilisi e atingiram alvos civis na cidade de Gori, perto da fronteira com a Ossétia do Sul. Os aviões russos já haviam bombardeado uma base de forças especiais e um centro de controle de tráfego aéreo na periferia da capital georgiana, prosseguiu o porta-voz. Três soldados russos foram mortos e 18 ficaram feridos por forças georgianas na Ossétia do Sul, apesar de a Geórgia alegar ter retirado suas tropas, informou a agência de notícias Interfax citando uma fonte ossetiana. A Rússia, que já posicionou navios de guerra no Mar Negro, prepara-se para enviar mais 9.000 soldados para reforçar suas posições na Abkházia, outra região separatista georgiana pró-Moscou, disse um oficial do Exército russo citado pela Interfax. Moscou também está enviando mais 350 veículos blindados para reforçar o contingente que oficialmente atua como força de paz no território separatista, disse Alexander Novitsky, porta-voz do governo russo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.