Rússia liberta mais dois ativistas do Greenpeace

A justiça russa concedeu liberdade sob fiança para mais duas das 30 pessoas que foram presas após um protesto no Oceano Ártico. O Greenpeace disse que o tribunal de São Petersburgo concordou em libertar Faiza Oulahsen, dos Países Baixos, e Alexandra Harris, do Reino Unido após pagamento de fiança de US$ 61,5 mil para cada uma.

Agência Estado

20 de novembro de 2013 | 10h09

A justiça já havia concordado esta semana em libertar 12 pessoas cujo julgamento estava pendente, mas se recusou a dar liberdade para um ativista australiano. A ordem é que ele seja mantido preso até fevereiro. As trinta pessoas a bordo de um navio do Greenpeace foram detidas em setembro e estavam presas desde então.

Ainda não esta claro se os ativistas estrangeiros terão permissão para deixar o país. Inicialmente, eles foram acusados de pirataria, mas investigadores disseram mais tarde que eles responderiam a acusação de vandalismo.

Ontem, a justiça russa havia liberado a brasileira Paula Maciel, que participou dos protestos do Greenpeace. Ela foi a primeira estrangeira a ser solta. Na segunda-feira, a Rússia libertou três russos, também por meio de fiança, de 45 mil euros. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RússiaGreenpeaceativistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.