Rússia liberta último ativista do Greenpeace ainda preso

A justiça russa libertou nesta sexta-feira o último dos 30 detidos durante um protesto do grupo ambientalista Greenpeace em setembro. O australiano Colin Russell deixou a penitenciária de São Petersburgo um dia depois de a justiça ter estipulado fiança de 2 milhões de rublos, quantia equivalente a US$ 61.500.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2013 | 13h09

Russell foi o único ativista que teve o pedido de fiança negado nas audiências realizadas na semana passada e hoje transformou-se no último a ser solto.

Os ativistas, entre eles a brasileira Ana Paula Maciel, foram detidos após uma tentativa de parte do grupo de escalar uma plataforma de perfuração de petróleo da estatal russa Gazprom.

Com a libertação, todos aguardam em liberdade o julgamento. Eles foram acusados inicialmente de pirataria, mas as autoridades revisaram as acusações para vandalismo. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaGreenpeace

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.