Rússia: líder opositor continuará em prisão domiciliar

Um tribunal de Moscou decidiu manter o líder da oposição russo Alexei Navalny em prisão domiciliar por mais seis meses, em vez de mandá-lo para a prisão até o julgamento.

AE, Agência Estado

24 de abril de 2014 | 11h34

Navalny e seu irmão Oleg são acusados de roubar mais de 26 milhões de rublos (US$ 727,9 mil) da unidade russa da empresa de cosméticos francesa Yves Rocher. Eles também foram acusados de roubo de 4 milhões de rublos da empresa de pagamentos russa Multifuncional Processing e lavagem de mais de 21 milhões de rublos em um esquema de fraude em serviços de entrega. Ambos negaram as acusações.

Navalny, advogado que conduziu esforços para expor corrupção dentro do governo russo, enfrentou acusações criminais em vários casos. Ele está sob prisão domiciliar e proibido de se comunicar com o mundo exterior desde o final de fevereiro.

Em um caso separado, ele foi considerado culpado na terça-feira por calúnia e multado em 300 mil rublos. No verão passado, Navalny foi condenado por desvio de fundos de uma empresa madeireira e sentenciado a cinco anos de prisão menos de dois meses antes da eleição para a prefeitura de Moscou, na qual planejava concorrer. Milhares de manifestantes se reuniram em frente ao Kremlin no dia de sua condenação pedindo sua libertação. Em um movimento surpreendente, a sentença de Navalny foi suspensa e ele foi autorizado a se apresentar como candidato, mas recebeu pouco menos de um terço dos votos. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.