Rússia mata mais um líder terrorista islâmico no Daguestão

Forças de segurança da Rússia mataram mais um militante islâmico local em confrontos no Sul da região do Cáucaso do Daguestão, de acordo com agências de notícias. O líder Madrid Begov, descrito como o chefe do "grupo terrorista de sabotagem Makhachkala-Shamkhal" foi morto durante uma operação na cidade de Makhachkala, a mais importante do Daguestão. Segundo fontes da força de segurança no Daguestão, o confronto ocorreu quando os oficiais rodeavam um suposto esconderijo no subúrbio da cidade. "Depois de ser rendido, Begov respondeu com tiros. No resultado da ação, foi eliminado", explicou um porta-voz do serviço de segurança FSB à agência ITAR-TASS.

AE, Agencia Estado

10 de janeiro de 2010 | 15h33

Begov, que tinha 35 anos e vinha sendo procurado por tentar assassinar um técnico da FSB em abril, na cidade de Makhachkala. A agência Interfax informou que Begov havia trabalhado para a Omon, força especial da polícia russa, mas foi demitido em 2004. Em seguida, foi estudar no Egito e se tornou parte da militância.

As preocupações são grandes na região do Cáucaso da Rússia, à medida que aumentou o número de ataques de militantes islâmicos contra autoridades locais pró-Kremlin. Um outro líder militante, conhecido como "o emir de Makhachkala", foi morto pelas forças de segurança locais no sábado à noite, depois de resistir à ordem de prisão em uma estrada, fora da cidade, conforme informações da FSB à ITAR-TASS. Marat Kurbanov foi morto junto com dois companheiros, que também eram rebeldes. O carro em que eles estavam ia carregado de materiais explosivos, que foram detonados no confronto.

No Daguestão, região do Mar Cáspio, as tensões têm se acirrado especialmente nos últimos meses. Na semana passada, cinco policiais foram assassinados em um ataque de homem-bomba, em Makhachkala. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaterrorismoDaguestão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.