Rússia não comenta prisão de contrabandista de urânio

A Rússia jogou na defensiva nesta quinta-feira após a Geórgia revelar que interceptou no ano passado um contrabando de urânio altamente enriquecido para a Rússia.O ministro do Interior da Geórgia, Ivane Merabishvili, afirmou que na operação, realizada em janeiro, agentes georgianos detiveram um russo que tentava levar cerca de 100 gramas de urânio da Geórgia à Rússia, disse o diário, segundo o jornal The New York Times. O cidadão russo foi condenado a oito anos de prisão na Geórgia por contrabando do urânio, revelou o Ministério do Interior georgiano ainda nesta quinta-feira, que manteve em segredo o fato durante quase um ano.Funcionários russos comentaram pouco sobre a investigação, exceto uma fonte não identificada na agência nuclear russa, Rosatom, que negou as acusações de que o país não estava cooperando.No entanto, membros da Rosatom, do Serviço Federal de Segurança e o Ministério do Interior não responderam ao serem interrogados sobre o fato ocorrido na Geórgia. As relações entre Rússia e Geórgia não estão boas. O presidente georgiano Mikhail Saakashvili já afirmou que pretende diminuir a influência russa no país.Em Washington, o ministro do Interior da Geórgia Vano Merabishvili disse que após esta história o país está decepcionado com a Rússia e explicou o perigo da fragilidade da falta de cooperação com a segurança na região.Anton Khlopkov, vice-diretor do centro PIR, baseado em Moscou, criticou a intenção do que foi revelado. "Por que isso foi divulgado só agora? Parece-me uma tentativa da Geórgia ou dos EUA em construir uma imagem russa como uma exportadora nuclear", disse Khlopkov.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.