Rússia não tem intenção humanitária no leste da Ucrânia, dizem líderes

Joe Biden, vice dos EUA, e Petro Poroshenko, líder da Ucrânia, falaram por telefone e Casa Branca relatou a conversa

O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2014 | 16h09

 WASHINGTON - O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, concordaram ontem que o envio de tropas russas pela fronteira ucraniana não atende às razões humanitárias do comboio estacionado na fronteira do país.

Os dois líderes falaram neste sábado por telefone e a Casa Branca emitiu uma nota relatando a conversa. "Os dois líderes concordaram que o envio de colunas militares russas através da fronteira com a Ucrânia e o suprimento de armas avançadas para os separatistas pró-Rússia são incompatíveis com o desejo de melhorar a situação humanitária no leste do país", dizia o comunicado. 

"Ambos os líderes reafirmaram o seu apoio a uma solução diplomática para a crise e convidaram a Rússia a iniciar negociações de boa fé." / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
EUAUcrâniaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.