Rússia não vai desenvolver sistema de defesa antimísseis

A Rússia é o único país no mundo que tem um escudo antimísseis sobre sua capital, mas não tem demonstrado intenção de competir com os EUA construindo um sistema nacional de defesa contra mísseis, dizem os analistas. Um alto funcionário do Departamento de Estado disse nesta quinta-feira que a administração Bush saudaria uma iniciativa russa no sentido de desenvolver sua própria tecnologia antimísseis para se proteger de ameaças regionais. Ele acrescentou que os EUA gostariam de cooperar com a Rússia numa iniciativa desse tipo. Não houve nesta sexta-feira nenhuma reação russa a respeito da declaração feita em Washington. Um porta-voz da Chancelaria em Moscou disse ter tomado conhecimento da declaração, mas recusou-se a comentar o assunto. Analistas disseram não haver indícios de que a Rússia e os EUA possam unir seus esforços, porque as declarações dos EUA parecem ser mais uma tentativa de incentivar uma aproximação entre os dois países do que uma proposta efetiva. Alguns consideraram essa oferta um ensaio para corrigir os danos causados pela retirada dos EUA do tratado sobre mísseis antibalísticos (ABM) de 1972 e as divergências em torno das conversações bilaterais sobre controle de armas. Outros analistas disseram que Moscou não vê muito sentido em construir um sistema antimísseis. "A Rússia não nenhum inimigo do qual se proteger e, de qualquer modo, não pode bancar a despesa de construir tal sistema", disse o general da reserva Vasily Lata, ex-vice-comandante-chefe da divisão de Mísseis Estratégicos das Forças Armadas russas. "Interrompemos as pesquisas após descobrirmos que tal sistema seria altamente custoso e ineficiente".

Agencia Estado,

11 Janeiro 2002 | 20h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.