Rússia não vai mais vender gás com desconto à Ucrânia

A Rússia não vai mais oferecer desconto sobre o gás natural vendido à Ucrânia, afirmou hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, segundo a agência de notícias russa Interfax.

Agência Estado

25 de março de 2014 | 12h22

"Como não há uma frota russa na Ucrânia, não há razão para descontos...além disso, não há motivo para descontos para o gás, segundo o acordo entre (o presidente da Rússia) Vladimir Putin e (o presidente ucraniano afastado Viktor) Yanukovich porque não há uma autoridade legítima (na Ucrânia)", disse Peskov.

Atualmente, a Ucrânia deve cerca de US$ 2 bilhões por suprimentos de gás recebidos da Rússia. Alexei Miller, chefe do monopólio de gás russo OAO Gazprom, avisou recentemente seus pares ucranianos que Moscou deverá suspender o fornecimento de gás à Ucrânia se Kiev não saldar sua dívida.

Em 2009, a Gazprom interrompeu o suprimento de gás para a Ucrânia, o que causou a falta do produto em países do leste europeu que dependem muito do gás russo para atender suas necessidades energéticas.

Na semana passada, a Rússia anexou oficialmente a região ucraniana da Crimeia, num gesto que foi seguido por uma série de sanções impostas pelos EUA e União Europeia. Ontem, também ficou definido que a Rússia ficará fora do G-8 enquanto não mudar sua posição em relação à Ucrânia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaUcrâniagás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.