Rússia nega invasão de espaço aéreo japonês

Dois aviões militares russos violaram o espaço aéreo japonês nesta quinta-feira, acusou o Ministério das Relações Exteriores do Japão. Caças japoneses foram enviados em resposta. A chancelaria nipônica informou ter apresentado protesto formal à Embaixada da Rússia em Tóquio. Moscou, por sua vez, desmentiu qualquer violação de espaço aéreo.

AE, Agência Estado

07 de fevereiro de 2013 | 12h38

O incidente ocorre em um momento sensível para o Japão, que reclamou do que classifica como "lamentáveis" as ações da China no mês passado ao apontar seus sistemas de radar para dois alvos japoneses no caso mais recente relacionado a uma disputa entre os dois países por ilhas no Mar do Leste da China.

O Ministério de Relações Exteriores do Japão afirmou que jatos de combate russos, conhecidos como SU-27s, violaram o espaço aéreo japonês sobre a Ilha Rishiri. A invasão durou cerca de um minuto e ocorreu por volta das 4h (de Brasília), segundo Tóquio.

O Japão enviou quatro jatos de combate F-2 em resposta. É a primeira vez desde 2008 que o Japão acusou aviões militares russos de violarem seu espaço aéreo.

Em Moscou, por sua vez, o Ministério da Defesa da Rússia divulgou nota desmentindo a versão japonesa. Segundo o comunicado, aviões militares russos participam de uma manobra militar perto da fronteira, mas "em estrita conformidade com as leis internacionais, sem nenhuma espécie de violação" de espaço aéreo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoRússiaespaço aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.