Rússia nega ofensiva antiterrorista na Ásia Central

O ministro de Defesa da Rússia, Sergei Ivanov tentou dissipar nesta sexta-feira as especulações de que uma operação antiterrorismo liderada pelos Estados Unidos contra o Afeganistão possa ser lançada a partir de alguma ex-república soviética da Ásia Central. "Não vejo nenhuma base para justificar nem mesmo a hipótese de operações militares da Otan no território das nações da Ásia Central pertencentes à Comunidade dos Estados Independentes (CEI)", disse Ivanov a jornalistas em Yerevan, capital da Armênia.Ele anunciou que os chefes de Estado Maior dos 12 países da CEI se reunirão em Moscou em 26 de setembro para discutir a coordenação de medidas militares contra o terrorismo.O subsecretário de Estado dos EUA, Richard Armitage, deverá participar, na semana que vem, em Moscou, de reuniões sobre esforços conjuntos em ações antiterrorismo.Porém, o general Anatoly Kvashnin, chefe do Estado Maior das Forças Armadas da Rússia, acredita ser improvável que o Exército russo participe de "atos de vingança" aos ataques terroristas contra o World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono, em Washington, informou a agência de notícias Interfax."Os Estados Unidos possuem forças militares poderosas o bastante que podem cumprir esta tarefa sozinhas", declarou Kvashnin, segundo a agência. Ainda de acordo com ele, não haverá negociação entre Rússia e Estados Unidos no âmbito militar sobre a participação de Moscou numa eventual operação.Kvashnin disse ainda que, até onde ele sabe, o milionário saudita Osama bin Laden estaria escondido agora nas montanhas perto de Kandahar, uma cidade no sul do Afeganistão onde está situado o quartel-general do Taleban.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.