Rússia pede explicações à Turquia por interceptação

O incidente envolvendo o avião sírio interceptado pela Força Aérea da Turquia aumentou ainda mais a tensão diplomática na região. Nesta quinta-feira o presidente Vladimir Putin adiou uma visita que faria à Turquia, mas não deixou claro qual é o motivo da postergação.

AE, Agência Estado

11 de outubro de 2012 | 12h36

A data do encontro foi mudada para 3 de dezembro, relatou uma fonte do gabinete do primeiro-ministro turco, mas o porta-voz de Putin disse que a data "é apenas uma das possibilidade em análise para a visita à Turquia".

A Rússia é um dos principais aliados do governo do presidente Bashar Assad, mas essa posição até agora não havia provocado nenhum problema com a Turquia.

A aeronave interceptada seguia para a Síria, procedente de Moscou, e foi forçada a pousar na quarta-feira. A imprensa turca noticiou que o avião transportava aparatos de comunicação militar, como rádios, antenas e "e equipamentos suspeitos de serem partes de mísseis".

A Síria acusou Ancara de "comportamento hostil e repreensivo" e afirmou que o caso é "mais um sinal das políticas hostis do governo de Erdogan, que abriga rebeldes e bombardeia o território sírio", afirmou o Ministério de Relações Exteriores do país, referindo-se ao primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan.

O avião da Syrian Arab Airlines levava 37 pessoas e continuou a viagem para Damasco após algumas horas, mas sem a carga. O ministro de Informações da Síria acusou a Turquia de "pirataria aérea". Já o chefe da companhia dona do avião afirmou que autoridades turcas "agrediram a tripulação antes de permitir a decolagem".

A Rússia exigiu explicações sobre o incidente e o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Alexander Lukashevich, disse que o país preocupa-se que "a vida e a segurança dos passageiros, entre eles 17 cidadãos russos, tenham sido colocadas em perigo".

A hostilidade entre Síria e Turquia vem aumentando nos últimos dias, com trocas de disparos de artilharia e morteiros na fronteira entre as duas. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.