Rússia pede interrogatório de magnata sobre morte de espião

Promotores russos pediram à Grã-Bretanha o interrogatório do magnata exilado Boris Berezovsky como parte das investigações sobre a morte do ex-agente russo Alexander Litvinenko, informou a agência de notícias Interfax nesta sexta-feira, 29.A Interfax cita uma fonte não-identificada do escritório do promotor-geral russo dizendo que o país enviou um pedido à Promotoria da Coroa britânica pedindo para que Berezovsky e outros sejam interrogados."Há um pedido para a realização de uma série de ações investigativas, incluindo o interrogatório de um grande número de pessoas, em particular o empresário Boris Berezovsky que vive em Londres", afirmou a fonte, segundo a Interfax.Uma porta-voz do escritório do promotor geral negou-se a comentar a reportagem. O porta-voz de Berezovsky não foi localizado para se pronunciar.Litvinenko, um ex-funcionário da segurança estatal russa, morreu em 23 de novembro em Londres por envenenamento radioativo causado pela ingestão de polônio-210. A polícia britânica diz que ele foi assassinado.Em seu leito de morte, ele acusou o presidente russo, Vladimir Putin, de ser o mandante do crime - uma alegação rechaçada pelo Kremlin. Desde então, a polícia britânica já esteve em Moscou e interrogou testemunhas russas.Berezovsky, conhecido de Litvinenko, tornou-se o maior inimigo do Kremlin e vem sendo demonizado pela televisão estatal.Um loquaz ex-cientista, Berezovsky virou um dos mais poderosos oligarcas da Rússia na época do ex-presidente Boris Yeltsin e ajudou Putin a chegar ao poder. Ele entrou em choque com o Kremlin sob Putin e fugiu da Rússia em 2000.Recebeu asilo político na Grã-Bretanha em 2003 e tem usado sua base em Londres para criticar o que ele chama de práticas autoritárias de Putin.O promotor-geral da Rússia acrescentou mais uma suspeita à investigação de assassinato na quarta-feira ao declarar que Leonid Nevzlin, ex-alto dirigente do império empresarial Yukos, poderia ter dado a ordem para a morte de Litvinenko.Alguns analistas russos dizem que o assassinato de Litvinenko, e particularmente sua apresentação à mídia cuidadosamente orquestrada, foi planejado para desacreditar Putin.Traços de radiação foram encontrados em diversos locais de Londres, incluindo um sushi bar onde Litvinenko reuniu-se com contatos, um hotel que ele visitou e os escritórios de Berezovsky.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.