Rússia pede investigação sobre direitos humanos no Iraque

A Rússia e alguns países árabes querem que a ONU realize uma reunião especial para avaliar as violações aos direitos humanos que estejam sendo cometidas no Iraque, tanto por parte do Exército norte-americano como pelo governo de Bagdá. Hoje, um grupo de nove países apresentou uma proposta para que a Comissão de Direitos Humanos da ONU, que se reúne desde a semana passada, interrompa seus trabalhos para debater a crise iraquiana.O grupo de países conta com a adesão da Síria, Argélia, Congo e Líbia, além de Moscou, e quer que, durante a reunião, a ONU aprove uma resolução condenando as violações, como a morte de civis, a exposição dos soldados norte-americanos na tevê e a situação em que se encontra a população iraquiana.A decisão de interromper as reuniões da Comissão será tomada nos próximos dias pelas Nações Unidas. Enquanto isso, o alto comissário de Direitos Humanos da ONU, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, coloca em andamento seu plano de ter dois monitores da ONU no Iraque para avaliar o respeito pelos direitos humanos durante o conflito.Além da reunião sobre a situação dos direitos humanos no Iraque, a comunidade internacional vai se reunir na semana que vem, em Genebra, para coordenar a ajuda humanitária que está sendo enviada a Bagdá. Cerca de 30 países deverão debater estratégias para garantir que a população receba alimentos e remédios.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.