Rússia pede mais controle sobre programa nuclear do Irã

A Rússia emitiu o mais claro sinal de que compartilha da preocupação americana com relação ao programa nuclear iraniano e pediu um controle internacional mais rigoroso, para garantir que Teerã não está desenvolvendo armas atômicas. O vice-ministro russo das Relações Exteriores, Georgy Mamedov, disse que o governo de seu país gostaria que o Irã assinasse um acordo com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para a introdução de uma programa mais rigoroso de inspeções. A AIEA é subordinada à ONU."Ao lado dos Estados Unidos, estamos pedindo ao Irã que assine o protocolo", disse Mamedov a jornalistas. Sua declaração veio à tona em meio aos esforços de Moscou para restaurar os laços de amizade com Washington, após as divergências entre os dois governos com relação à guerra americana contra o Iraque. Desde 1995, quando a Rússia assinou um acordo com o Irã para a construção de um reator nuclear na cidade de Bushehr, Moscou vinha minimizando as preocupações americanas de que o pacto de US$ 800 milhões poderia ajudar Teerã a construir uma bomba atômica."Nossa consciência está limpíssima", garantiu Mamedov. Segundo ele, a cooperação nuclear da Rússia com o Irã nada tem a ver com armas. O vice-chanceler aproveitou ainda para acusar empresas ocidentais não-especificadas de ajudarem Teerã a obter conhecimento para a construção de armas nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.