Rússia pede pagamento da Ucrânia para gás

Rússia pede pagamento da Ucrânia para gás

O fornecimento do combustível ao país europeu foi suspenso em junho

AE, Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2014 | 09h26

A Ucrânia deve pagar US$ 3,9 bilhões caso queira que Moscou retome o fornecimento de gás natural, disse o ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, nesta terça-feira, segundo a agência de notícias Interfax.

A Rússia suspendeu o fornecimento de gás para a Ucrânia em meados de junho e acionou um sistema de pré-pagamento, após Kiev não conseguir pagar o gás a um preço exigido por Moscou.

Kiev disse que estava disposta a pagar a Rússia por suas entregas anteriores se a Gazprom garantir que não aumentará o preço do gás em 2014, a partir do nível acordado no final de 2013 entre o presidente Vladimir Putin e o líder ucraniano na época Viktor Yanukovich.

Novak disse que Moscou aguarda US$ 1,9 bilhão de Kiev como um pré-pagamento para novas entregas, assim como US$ 2 bilhões pelo gás já fornecido, segundo a Interfax.

A Ucrânia e Rússia se reuniram na semana passada em Berlim, onde os dois lados concordaram que Ucrânia pagaria US$ 3,1 bilhões em dívida até o final do ano, em troca da retomada de algumas entregas de gás. Mas isso só se aplica aos meses de inverno e refere-se a um preço acima da média, de acordo com as autoridades de energia da União Europeia e da Rússia.

Com o fornecimento de gás da Rússia já parado e o fluxo reverso de gás da Hungria agora suspenso, a Ucrânia pode enfrentar escassez de energia neste inverno. Kiev tinha, em parte, reconhecido a dívida, mas disse que a conta deve ser calculada sobre o preço antigo de US$ 268,5 por mil metros cúbicos, em vez de preços revisados em abril de US$ 485,50 por mil metros cúbicos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
RússiaUcrâniaGás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.