REUTERS/Maxim Shemetov
REUTERS/Maxim Shemetov

Rússia pede 'pena severa' a homem que vandalizou quadro de Ivan, o Terrível

Um homem de 37 anos foi preso no sábado após ter vandalizado a tela, pintada entre 1883 e 1885

O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 16h43

MOSCOU - As autoridades russas condenaram nesta segunda-feira, 28, o ataque a um quadro que representa Ivan, o Terrível, matando seu filho, uma das mais famosas telas do pintor do século 19 Ilia Repin, e pediram "a pena mais severa" possível ao responsável pelo ato.

Um homem de 37 anos foi preso no sábado após ter vandalizado a tela, pintada entre 1883 e 1885.

+ Bailarino russo é condenado por ataque a diretor do Bolshoi

Pouco antes do fechamento da galeria Tretiakov, o suspeito usou uma barra de metal para quebrar o vidro que protegia a obra "Ivan, o Terrível, e seu filho Ivan em 16 de novembro de 1581", na qual se vê o czar que reinou de 1547 a 1584 matando o filho em um acesso de raiva.

"A pintura foi gravemente danificada. A pintura foi rasgada em três lugares, na parte central onde está o filho do czar (...)", informou a galeria em uma nota.

"Felizmente, as partes mais valiosas (da obra - o rosto e as mãos do czar e de seu filho) não foram danificadas", acrescenta o comunicado.

Segundo a agência oficial de notícias Tass, o homem, de 37 anos, originário de Voronej (centro), disse ter agido por "razões históricas". A obra já foi atacada em 1913, quando um homem a rasgou com uma faca.

O vice-ministro da Cultura, Vladimir Aristarjov, declarou nesta segunda-feira em coletiva de imprensa que espera que o culpado receba "a pena mais severa possível", acrescentando que "três anos (de prisão) não é nada comparado ao valor dessa pintura".

Segundo a lei russa, a pena máxima para este crime são 3 anos de reclusão. / AFP 

Mais conteúdo sobre:
Moscou [Rússia] vandalismo Ilia Repin

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.