Rússia pede que comunidade internacional não ameace Teerã

O ministro das relações exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse nesta segunda-feira, em Atenas, que a comunidade internacional não deve ameaçar o Irã. A advertência é interpretada como uma resposta a um pedido de reação feito pelo Secretário da Defesa dos Estado Unidos, Donald Rumsfeld, que disse que uma solução militar para o problema deve ser mantida em aberto. Os comentários de Rumsfeld foram publicados em uma entrevista para um jornal alemão.Enquanto isso, o vice-ministro das relações exteriores de Moscou, Sergei Kislyak, disse que é possível criar uma área de enriquecimento de urânio para Teerã em território russo, mas somente se o Irã voltar a respeitar a moratória contra seus programas nucleares, reportou a agência de notícias Interfax.A junta de 35 governadores mundiais da AIEA votou, no último sábado, para reportar o Irã ao Conselho de Segurança da ONU, que possui o poder de impor sanções políticas e econômicas ao país. Teerã respondeu à essa indicação dizendo que retomaria o enriquecimento de urânio em grande escala e barrará as inspeções surpresa aos seus complexos. O Irã disse que poderá voltar a discutir com Moscou a proposta de deixar o enriquecimento de larga escala no território russo com o objetivo de acabar com as suspeitas de que possa estar construindo armas nucleares. Reuniões à respeito do projeto foram marcadas para 16 de fevereiro, em Moscou.Um perito de Moscou baseado no Irã disse que Teerã pode deixar somente o enriquecimento de urânio de baixa escala em seu território e ainda envolver um terceiro país, preferencialmente a China, para tirar a possibilidade de Moscou usar o combustível como forma de pressionar o Irã em questões internacionais.O enriquecimento de urânio em baixa escala pode ser usado para reatores nucleares, enquanto em larga escala pode ser usado em ogivas nucleares. O Irã insiste que só quer a geração de energia, mas os Estados Unidos e seu aliados insistem que Teerã está tentando construir armas de destruição em massa. O perito disse que qualquer ação militar americana ou israelense contra o Irã fará com que Teerã retalie bloqueando as entregas de petróleo, o que levará o mercado global a uma situação caótica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.