Rússia permite entrada de ajuda humanitária em Gori

Tropas russas permitiram hoje a entrada de ajuda humanitária em Gori, mas mantinham o bloqueio da cidade. Situada 75 quilômetros ao oeste de Tbilisi, a capital georgiana, Gori é um elo crucial entre o leste do país e a costa do Mar Negro. Autoridades locais diziam que havia tropas russas ainda em outras cidades da Geórgia. Ao manter Gori, as forças russas são capazes de, na prática, dividir o país ao meio, já que é por ali que passa a única estrada importante entre o leste e o oeste do país.Hoje, veículos militares russos bloqueavam o acesso à cidade de Gori, mas permitiram a entrada na Geórgia de um ônibus repleto de sacos de pães. "Agora a situação é tranqüila, mas há problemas com comida", disse Alexander Lomaia, diretor do Conselho de Segurança Nacional da Geórgia. Ele afirmou ter andado pela cidade na noite de ontem. Shota Utiashvili, porta-voz do Ministério de Interior da Geórgia, disse hoje que não havia tropas russas em Kutaisi, a segunda maior cidade do país, apesar dos rumores de que soldados russos estariam se dirigindo para lá ontem à noite.Mas tanto Utiashvili quanto Lomaia asseguraram que ainda hoje havia tropas russas em Poti, na costa do Mar Negro. Enquanto isso, dois aviões com ajuda externa americana chegaram a Tbilisi com cobertores, medicamentos e outros itens humanitários. A Rússia, por sua vez, insinuou que os dois aviões militares enviados pelos Estados Unidos, dos quais a Geórgia é aliada, também poderiam ter levado ajuda em armas, e não apenas em itens humanitários. Funcionários americanos negaram a possibilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.