Rússia pode ter base em Cuba e Venezuela, diz militar

Um dos chefes da Força Aérea da Rússia disse que o país pode posicionar alguns bombardeiros estratégicos em Cuba ou em uma ilha oferecida pela Venezuela, de acordo com a agência de notícias Interfax. Segundo a agência, o major-general Anatoly Zhikharev, que coordena a aviação de longo alcance na Rússia, disse que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, havia oferecido "uma ilha com aeroporto que poderia ser utilizada como base temporária para bombardeiros estratégicos", e acrescentou que "se houver uma decisão política correspondente, então o uso da ilha pela Força Aérea Russa é possível".

AE-AP, Agencia Estado

15 de março de 2009 | 11h31

O major-general havia dito também que Cuba possui bases aéreas com quatro ou cinco pistas suficientemente longas para a decolagem de grandes aviões bombardeiros que também poderiam ser utilizadas como base, afirmou a Interfax.

No entanto, Alexei Pavlov, uma autoridade do Kremlin, disse que os comentários do militar faziam referência apenas a "possibilidades técnicas".

O porta-voz do Conselho de Segurança do governo dos Estados Unidos, Mike Hammer, disse que "não comentaria sobre hipóteses".

Autoridades do gabinete e do Ministério de Defesa da Venezuela recusaram-se a comentar imediatamente as declarações do major-general, mas Chávez, em um discurso televisionado em 7 de setembro, disse que as frotas aérea e marítima da Rússia seriam bem-vindas na Venezuela. As autoridades cubanas não puderam ser contatadas.

Os EUA e a Rússia tentam reparar suas relações diplomáticas, bastante prejudicadas pelos planos norte-americanos de posicionar um escudo antimísseis na Polônia e na República Tcheca e também pela invasão russa da Geórgia no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.