Rússia quer extradição de homem que planeja derrubar Putin

A Promotoria Geral da Rússia anunciou nesta sexta-feira, 13, que pedirá novamente às autoridades britânicas a extradição do magnata russo exilado em Londres Boris Berezovsky, que admitiu planejar derrubar pela força o presidente Vladimir Putin.A porta-voz da Promotoria, Marina Gridneva, afirmou que o procurador-geral, Yuri Chaika, ordenou que fosse preparado um pedido para que o governo britânico avalie juridicamente as declarações de Berezovsky. Em entrevista publicada pelo jornal The Guardian, o empresário disse que financia uma revolução contra Putin."Nesse pedido, colocaremos a necessidade de que se retire de Berezovsky sua condição de asilado político e que ele seja entregue às autoridades russas", disse Gridneva, citada pela agência oficial russa Itar-Tass.Após a grande repercussão da entrevista, entretanto, o magnata soltou uma nota à imprensa negando que suas declarações sejam uma incitação à violência."Eu realmente apoio utilizar outros métodos para pressionar por uma mudança pela volta da democracia. Entretanto, eu quero que fique bem claro que todos esses métodos não seriam violentos. Talvez as recentes manifestações populares e ações na Geórgia e na Ucrânia sejam bons exemplos", disse Berezovsky no comunicado.O empresário se referia às manifestações em massa nas ruas dos ex-Estados Soviéticos - Geórgia, em 2003, e Ucrânia, em 2004 - que subverteu a entrincheirada estrutura de poder dos países.Moscou já tinha solicitado, sem sucesso, a extradição do empresário, que é acusado na Rússia de crimes financeiros, entre eles a apropriação ilícita de US$ 50 milhões da companhia aérea russa Aeroflot.O ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, pediu nesta sexta-feira ações legais contra o multimilionário exilado por sua entrevista ao Guardian."A incitação à queda violenta de governos de outros países é motivo para iniciar medidas judiciais", disse.Personagem polêmicoSegundo o chanceler, "Berezovsky abusa de sua qualidade de refugiado político para cometer ações que merecem sua extradição, segundo a legislação britânica".O empresário afirmou ao jornal britânico que "é impossível mudar este regime (de Putin) através de meios democráticos. Não pode haver mudança sem força, pressão".No ano passado, Berezovsky já tinha dito a uma rádio russa que queria tirar Putin do Kremlin pela força. Na ocasião, o então ministro de Relações Exteriores britânico, Jack Straw, advertiu o empresário de que poderia perder sua condição de refugiado político.Texto atualizado às 17h09

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.