Rússia quer integração de sistemas de defesa até o fim de 2011

Medvedev ordena dispositivos antimíssil e antiaéreo sob controle de um único mandato estratégico

Efe

07 de dezembro de 2010 | 11h56

MOSCOU - O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, ordenou nesta terça-feira, 7, que o governo unifique os sistemas de defesa antimísseis, antiaéreo, de alerta e de controle até dezembro de 2011.

 

"O presidente quer garantir a integração dos atuais sistemas sob o controle de um único mandato estratégico", informou o Kremlin. O primeiro-ministro, Vladimir Putin, tem menos de um ano para cumprir a ordem de Medvedev anunciada na semana passada durante o discurso sobre o Estado da Nação.

 

O presidente advertiu que se em um prazo de 10 anos a Rússia e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) não criarem um sistema de defesa antimíssil comum, haverá uma nova corrida armamentista similar à qual protagonizaram russos e americanos durante a Guerra Fria.

 

Na histórica cúpula do dia 20 de novembro em Lisboa, Rússia e a Otan acordaram cooperar em matéria antimíssil, um assunto que preocupa especialmente Moscou, que ameaçou investir em mísseis táticos Iskander em Kaliningrado, em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.