Rússia quer investigação sobre bombardeio na Líbia

A Rússia está "profundamente preocupada" com a campanha de bombardeio da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra a Líbia, porque esta teria ido além da resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) que autorizou os ataques, disse um diplomata russo que falou sob anonimato. Segundo ele, bombardeios como o da Otan contra a estação de televisão líbia e o aeroporto de Tripoli colocam em questão a habilidade da Otan em implementar a resolução 1973, que autorizou o uso da força para proteger civis.

AE, Agência Estado

16 de agosto de 2011 | 12h51

Segundo o diplomata, a Rússia quer que a ONU investigue o bombardeio que matou 85 civis no começo deste mês, perto da cidade líbia de Zlitan. A Otan negou a acusação de que o ataque contra uma fazenda tenha matado civis, a maioria mulheres e crianças, e afirmou que os mortos eram mercenários e soldados leais a Kadafi.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaLíbiaKadafiguerraOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.