Rússia rebate críticas dos EUA por manter negócios com Iraque

A Rússia rebateu hoje as críticas feitas pelos Estados Unidos por manter laços econômicos com países como o Iraque. "Misturar laços ideológicos com laços econômicos, uma característica da Guerra Fria que Rússia e Estados Unidos trabalharam para encerrar, é coisa do passado", disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores russo, Boris Malakhov. A declaração foi uma resposta aos comentários do secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald H. Rumsfeld, de que as relações econômicas de Moscou com o Iraque são um sinal negativo. Na semana passada, Rumsfeld ameaçou o governo russo ao dizer que, se Moscou decidir fazer negócios com Iraque, Líbia, Síria, Cuba ou Coréia do Norte, os empresários do mundo inteiro excluirão a Rússia. "Esta não é a primeira vez que o Pentágono toma a incomum iniciativa de fazer declarações em nome das comunidades empresariais norte-americanas e estrangeiras. Para nós, é difícil julgar qual autoridade tem o Pentágono para fazer isto e quem lhe concedeu tal autoridade", afirmou Malakhov. "Entretanto, temos a impressão de que a liderança militar norte-americana é obrigada a fazer declarações como esta devido à ausência de argumentos sérios em favor dos cenários militares que tenta impor aos outros países e vêm causando crescente preocupação ao redor do mundo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.