Rússia reclama de sanções da UE e EUA contra o Irã

O governo russo afirmou estar desapontado com novas medidas unilaterais tomadas por União Europeia e Estados Unidos contra o Irã, afirmou hoje o vice-ministro das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov. Ele advertiu que essas ações podem afetar a cooperação na crise nuclear.

AE, Agência Estado

17 de junho de 2010 | 10h03

"Nós estamos extremamente desapontados pois nem os Estados Unidos nem a União Europeia prestaram atenção aos nossos pedidos de evitar medidas como essas", afirmou Ryabkov, segundo agências de notícias russas. "Tais ações só podem ser chamadas de tentativas de se colocar acima do Conselho de Segurança das Nações Unidas", concluiu.

A Rússia concordou com uma quarta rodada de sanções contra o Irã no Conselho de Segurança da ONU, pelo fato de o país se recusar a interromper o enriquecimento de urânio. Teerã garante ter apenas fins pacíficos, mas potências lideradas pelos EUA suspeitam que o país busque secretamente armas nucleares.

Ontem, os EUA impuseram novas sanções ao país, atingindo companhias de seguro, do setor de petróleo e de transporte, bem como a Guarda Revolucionária e o ministro da Defesa iraniano, Ahmad Vahidi. Hoje, os líderes da União Europeia aprovaram em Bruxelas restrições aos investimentos e à transferência de tecnologia para o Irã.

"Medidas de sanção unilaterais excedendo os parâmetros fechados e refletidos na resolução do Conselho de Segurança da ONU não são somente prejudiciais, mas minam a própria base do trabalho conjunto com os parceiros", afirmou Ryabkov. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclearRússiaEUAUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.