Rússia recusa encerrar cooperação com o Irã

A Rússia rejeitou nesta quinta-feira os pedidos dos Estados Unidos para que Moscou encerre a cooperação com o Irã na construção da usina nuclear de Bushehr. O porta-voz do Ministério do Exterior russo, Mikhail Kamynin, disse que a usina não tem relação alguma com o programa iraniano de enriquecimento de urânio. "A decisão pelo fim da cooperação com um país depende exlusivamente do Conselho de Segurança da ONU", disse Kamynin através de um comunicado. "Até agora, o Conselho não tomou nenhuma decisão no sentido de encerrar a cooperação com o Irã em energia nuclear", acrescentou. Segundo o porta-voz, todo país tem o direito de decidir com quem e como deve cooperar, adicionando que o projeto de Bushehr "está sob total controle" da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). O secretário adjunto de Estado americano, Nicholas Burns, disse na quarta-feira a repórteres em Moscou que os Estados Unidos haviam pedido para que os países encerrassem a cooperação com o Irã, incluindo o trabalho na usina de Bushehr. Burns afirmou ainda que os países devem encerrar todas as exportações de armas para Teerã. A Rússia fornece sofisticados mísseis aéreos para o governo iraniano. O governo americano tem pressionado medidas duras por causa da recusa iraniana em suspender seu programa de enriquecimento do urânio. Washington acredita que o programa nuclear iraniano tem propósitos bélicos. O Chefe de energia atômica da Rússia, Sergei Kiriyenko também reagiu negativamente ao pedido americano. Kiriyenko disse que os trabalhos russos na construção da usina de US$800 milhões "cumprem todos os acordos e normas internacionais". Ainda nesta quinta-feira, vice-chanceler russo Sergei Kislyak disse que Moscou irá esperar pelo relatório do chefe da AIEA, Mohamed El Baradei, na semana que vem antes de tomar qualquer decisão sobre o programa nuclear iraniano. A agência ITAR-Tass citou uma fonte iraniana afirmando que uma delegação liderada pelo vice-secretário do Conselho de Segurança Nacional do Irã, Javad Vaidi, se encontraria na quinta-feira com diplomatas russos. Segundo a agência, os russos informariam os iranianos sobre os resultados da reunião entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança nesta semana em Moscou. O porta-voz do Ministério do Exterior disse que não tinha informações sobre tal reunião e o Conselho de Segurança do Kremlin afirmou não estar envolvido. Enviados do chamado UE-3 - Reino Unido, França e Alemanha - se reuniram por pelo menos duas horas em Moscou na quarta-feira com o vice-secretário do Conselho de Segurança Nacional do Irã, mas houve pouco progresso. Burns salientou que todos os participantes estavam de acordo em impedir o Irã de obter capacidade nuclear mas não chegaram a um acordo sobre os meios para isso. Ele se negou a informar quais países não apoiaram as possíveis sanções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.