Rússia reforça controle da radioatividade na fronteira com a Coréia do Norte

A Rússia reforçou o controle sobre o nível de contaminação radioativa nas regiões próximas à fronteira com a Coréia do Norte e pediu às autoridades do país vizinho mais informações sobre o teste nuclear subterrâneo de segunda-feira."A intensificação do controle ambiental é uma medida preventiva, pois até o momento não há indícios de contaminação radioativa", disse à agência oficial Itar-Tass um porta-voz do Serviço Meteorológico do Extremo Oriente russo.Nas cidades russas de Jasansk, a mais próxima à fronteira, e Vladivostok, a mais povoada da região, as medições do fundo radioativo e as análises da composição do ar estão sendo renovadas de hora em hora. "O nível de radiação medido corresponde à radiação natural, disse o porta-voz.O porta-voz disse que satélites russos registraram na segunda-feira um aumento da temperatura do ar na Coréia do Norte, na área do teste nuclear, a 130 quilômetros da fronteira com a Rússia.Alexei Gurbayev, representante do Ministério de Situações de Emergência, informou que pediu ao consulado da Coréia do Norte em Nakhodka informações detalhadas sobre o teste nuclear.Ele explicou que a informação é indispensável para coordenar as medidas de prevenção em caso de contaminação radioativa. Após a realização de testes nucleares subterrâneos, seria possível um vazamento para a superfície de contaminação radioativa em forma de pó e nuvens com partículas carregadas."Sob correntes de ar em direção sudoeste, uma nuvem radioativa produzida na Coréia do Norte pode chegar a Vladivostok em 16 ou 18 horas", ressaltou Gurbayev. Estudantes da Universidade de Vladivostok anunciaram um protesto contra o teste nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.