Rússia reforça segurança após ataques suicidas

Explosões deixaram ao menos 34 mortos; país se prepara para sediar Jogos de Inverno

Associated Press

31 de dezembro de 2013 | 10h22

Milhares de policiais e forças paramilitares fazem a segurança da cidade de Volgogrado, na Rússia, onde ataques suicidas resultaram na morte de ao menos 34 pessoas. As explosões realçam as ameaças terroristas que a Rússia enfrenta enquanto se prepara para sediar os Jogos de Inverno em fevereiro. Volgogrado está a 650 quilômetros ao norte de Sochi, onde as Olimpíadas serão sediadas.

No domingo, a explosão de uma bomba em uma estação de trem resultou na morte de 18 pessoas. No segundo ataque suicida, 16 pessoas morreram na explosão de um ônibus. Autoridades informaram que 65 pessoas foram hospitalizadas para tratar ferimentos.

Em meio à onda de ataques à bomba, a polícia aumentou o número de policiais nas ruas e o Ministério do Interior enviou tropas à cidade de Volgogrado para reforçar a segurança.

Autoridades cancelaram grandes eventos de ano-novo na cidade, uma das mais visitadas nesta época do ano, e pediram aos residentes que não usem fogos de artifício. Em Moscou, as festividades foram mantidas, mas as autoridades disseram que a segurança poderia ser aumentada.

Nenhum grupo assumiu imediatamente a responsabilidade por qualquer uma das duas explosões, que vieram meses depois do líder rebelde da Chechênia Doku Umarov pedir novos ataques contra alvos civis na Rússia, incluindo os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaviolênciaatentados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.