Alexander Zemlianichenko/AP Photo
Alexander Zemlianichenko/AP Photo

Rússia registra mais de 27 mil novos casos e 562 mortes por covid-19 em 24 horas

Autoridades russas alertaram que o retorno à normalidade só será possível após a vacinação em massa da população, tarefa que levará vários meses

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2020 | 07h34

MOSCOU - A Rússia registrou 27.002 novos casos de covid-19 e 562 óbitos pela doença nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 29, pelas autoridades sanitárias do país. A Rússia já acumula 3,1 milhões de positivos e 55.827 mortes causadas pelo novo coronavírus.

Moscou, com quase 13 milhões de habitantes e principal foco da infecção no país, somou 5.641 novos positivos e 75 mortes no último dia. Desde a eclosão da pandemia na capital russa, houve quase 800 mil infecções e 11.064 mortes causadas pela covid-19. 

Na segunda cidade do país, São Petersburgo, onde segundo as suas autoridades os hospitais funcionam há vários dias no limite das suas capacidades, no último dia ocorreram 3.757 infecções e 79 mortes. 

De acordo com a Rosstat, agência estatal russa de estatísticas, entre janeiro e novembro deste ano a mortalidade no país aumentou 13,9% em relação ao mesmo período de 2019. Dados oficiais indicam que nesses onze meses morreram quase 230 mil russos a mais do que no mesmo período do ano passado. O maior aumento da mortalidade ocorreu no último mês, quando foi de 55,6% em relação aos dados de novembro de 2019. 

Apesar do agravamento da situação epidêmica, as autoridades russas por enquanto optaram por não apertar as restrições sanitárias existentes, pois confiam que a campanha de vacinação, iniciada no dia 15, ajudará a conter a situação. Ao mesmo tempo, alertaram que o retorno à normalidade só será possível após a vacinação em massa da população, tarefa que levará vários meses. 

No último sábado, 27, o Ministério da Saúde da Rússia autorizou a vacinação contra a covid-19 para maiores de 60 anos com a vacina russa Sputnik V, que só foi injetada em pessoas entre 16 e 60 anos. A Rússia é o quarto país do mundo, atrás dos Estados Unidos, Índia e Brasil, em número de infecções por covid-19. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.