Rússia rejeita suspender sanções contra a Geórgia

A Rússia recusou-se nesta terça-feira a suspender as sanções impostas à Geórgia por causa da recente detenção de militares russos sob acusações de espionagem apresentadas por Tbilisi.O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, acusou a Geórgia de ter insultado Moscou ao acusar os militares russos de espionagem.O incidente levou as relações entre Moscou e Tbilisi a seu ponto mais baixo desde a dissolução da União Soviética, no início da década passada.O comportamento do atual governo georgiano, que adota políticas pró-Ocidente e aspira a ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), tem sido fator constante de irritação para o Kremlin ao longo dos últimos anos."Não se deve insultar a Rússia. O governo georgiano precisa entender isso", declarou o chanceler em conversa com jornalistas em Moscou.Pela primeira vez desde a dissolução da URSS o governo russo aplicou duras punições contra uma ex-república soviética. A situação tem como pano de fundo a luta do Kremlin para evitar que os Estados Unidos ganhem influência sobre os países em sua órbita de atuação.A União Européia (UE) qualificou como "desproporcionais" tanto a atitude georgiana quanto a retaliação russa e pediu calma aos dois governos.As sanções impostas pela Rússia entraram vigor à meia-noite desta terça-feira. Moscou suspendeu todas as conexões ferroviárias, rodoviárias, aéreas, marítimas e postais com a Geórgia.Durante o último fim de semana, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, denunciou a detenção dos militares russos como "terrorismo de Estado envolvendo manutenção de reféns" e ordenou a seu gabinete que elaborasse medidas retaliatórias.Na segunda-feira, horas depois de Moscou ter anunciado as sanções, a Geórgia libertou os agentes russos acusados de espionagem com base num acordo negociado pela Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.