Rússia restringe direitos de migrantes georgianos

O governo russo apertou nesta quinta-feira (05) o cerco em torno da Geórgia ao anunciar a adoção de medidas para restringir os direitos dos georgianos que trabalham e vivem na Rússia.Trata-se da mais recente retaliação de Moscou contra Tbilisi desde a captura, na semana passada, de quatro militares russos acusados pela Geórgia de espionagem. A polícia russa também tem promovido operações de busca e apreensão contra restaurantes e estabelecimentos comerciais mantidos por georgianos.Em comentários levados ao ar pela televisão local nesta quinta-feira, o vice-diretor do Serviço de Imigração da Rússia, Mikhail Tyurkin, disse que Moscou decidiu abolir as cotas que garantem vistos de residência e trabalho a um determinado número de georgianos.Ao mesmo tempo, Tyurjin informou que Moscou pediu ao governo bielo-russo que imponha restrições aos vistos concedidos na Geórgia porque georgianos poderiam tentar entrar em território russo pela fronteira com a Bielo-Rússia.De acordo com estimativas, mais de 20% da população georgiana trabalha na Rússia. Seus familiares na Geórgia dependem amplamente do dinheiro remetido do exterior. Segundo Tyurkin, mais de metade dos imigrantes georgianos trabalham ilegalmente na Rússia.Legisladores russos também devem analisar nos próximos dias uma lei que irá proibir as remessas de dinheiro enviadas pelos georgianos que vivem na Rússia a seus parentes na Georgia.Relações deterioradasAs relações entre os dois países começaram a se deteriorar depois que o presidente georgiana pró-Ocidente Mikhail Saakashvili chegou ao poder em 2003. Saakashvili assumiu com uma plataforma que prometia um afastamento da esfera de influência russa e a adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).Mas a detenção de quatro militares russos acusados de espionagem por autoridades georgianas parece ter sido a gota d´água para Moscou, que quer evitar a crescente influência americana em seu antigo "quintal" soviético.No início desta semana, os militares foram libertados pouco depois de a Rússia ter anunciado a suspensão de todas as conexões de transportes e comunicações entre os dois países.Ainda assim, mesmo após a libertação, as retaliações foram mantidas e ampliadas, paralisando o comércio entre os dois países. A economia da Geórgia depende amplamente das relações comerciais com a Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.