Anton Vaganov/Reuters
Anton Vaganov/Reuters

Rússia se aproxima de 70 mil casos de coronavírus

Testagem feita na região de Moscou por grupo médico sugere que 1 a cada 10 residentes pode ter sido infectado pelo coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2020 | 17h03

MOSCOU - A Rússia registrou nesta sexta-feira, 24, 5.849 casos confirmados do novo coronavírus, elevando a 68.622 o número de pessoas infectadas em todo o país. Sessenta pessoas morreram em 24 horas, elevando a 615 o número de mortos.

Uma testagem em massa feita na região de Moscou para saber quantas pessoas teriam o anticorpo do coronavírus sugeriu que 1 a cada 10 residentes pode ter sido infectado, revelou um projeto do governo divulgado hoje. 

O resultado, divulgado pelo Grupo Médico Internacional de Moscou, sugere que o coronavírus infectou muito mais pessoas do que o confirmado pelas autoridades.

Moscou e a região de Moscou registraram 44.786 casos confirmados de contágio, sugerindo que 0,2% da população da área, de mais de 20 milhões, foi infectada. 

A filial em Moscou da clínica israelense Haddassa Medical ofereceu testes para a presença de anticorpos por 4.300 rublos (R$ 330), então a testagem foi feita com pessoas que se dispuseram a pagar, não com uma ampla amostra da população. 

Foram conduzidos cerca de mil testes nas primeiras duas semanas do programa. “Na semana passada, quando os testes começaram a ser feitos, cerca de 3% das pessoas tinha anticorpos. Esta semana, o índice subiu para 9-10%. Isso significa que a imunização gradual está ocorrendo”, informou o Grupo Médico Internacional de Moscou.

Os testes são produzidos pela companhia com base na China Genrui Biotech e certificada para uso na Área Econômica Europeia, disse o laboratório. 

Ainda não está claro se os anticorpos do novo coronavírus conferem realmente imunidade do mesmo modo que nas outras doenças infecciosas.

Os resultados da testagem foram divulgados pelo Grupo Médico Internacional após o primeiro teste gratuito para anticorpos da covid-19, quando as autoridades checaram 226 amostras e descobriram que 11 pessoas tiveram a doença, uma taxa de infecção de 5%. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.