Rússia se opõe à Otan sobre plano de escudo antimíssil

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e a Rússia voltaram a divergir hoje em relação ao plano da aliança militar de construir um sistema de defesa antimísseis, mas o secretário-geral da aliança atlântica, Anders Fogh Rasmussen, disse estar otimista sobre um acordo entre as duas partes antes do próximo encontro em maio.

AE, Agência Estado

08 de junho de 2011 | 17h53

Rasmussen afirmou que a Otan e a Rússia "estão perto de alcançar um acordo" sobre os princípios de cooperação por meio da criação de dois sistemas antimísseis - um da Otan e outro da Rússia - mediante troca de informações. Mas o ministro da Defesa russo, Anatoly Serdyukov, disse à agência de notícias Interfax que a ideia de escudos antimísseis interligados "não é vantajosa para nós" e poderia provocar uma nova corrida armamentista.

Os Estados Unidos alegam que o escudo poderia impedir a ameaça de mísseis iranianos e que não seria construído contra a Rússia, mas Moscou quer garantias legais. A Rússia vê os planos de defesa antimísseis liderados pelos EUA como uma ameaça à sua segurança.

Moscou concordou em considerar a proposta da Otan de colaborar com o escudo no ano passado, mas insistiu em que o sistema fosse gerenciado em conjunto. A Otan rejeitou o pedido e nenhum compromisso foi firmado até agora. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
defesaRússiaOtanescudo antimísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.