Rússia suspende projeto de instalação de mísseis táticos em Kaliningrado

A Rússia anunciou ontem que suspendeu os planos de posicionar mísseis táticos no enclave de Kaliningrado, desistindo temporariamente de retaliar a proposta americana de instalar um escudo antimíssil na Polônia e na República Checa. A medida foi interpretada por analistas como um sinal de que Moscou estaria estendendo as mãos para o novo presidente dos EUA, Barack Obama, depois de anos de uma conturbada relação com George W. Bush.A revelação foi feita por duas fontes: uma do Ministério da Defesa, que não foi identificada pela agência de notícias RIA Novosti, outra pela agência Interfax, que ouviu um militar ligado ao Estado-Maior das Forças Armadas, também não identificado. Os dois afirmaram que a suspensão era em razão de o novo governo americano não estar "acelerando" o projeto de instalação de um escudo antimíssil no Leste Europeu. Em novembro, o presidente russo, Dmitri Medvedev, advertiu que a Rússia poderia colocar foguetes Iskander em Kaliningrado em resposta à instalação do escudo antimíssil dos EUA. Os sistemas móveis Iskander são dotados de foguetes táticos com um alcance entre 50 e 300 quilômetros e podem levar vários tipos de cargas de até 480 quilos. A decisão russa foi tomada depois que Obama conversou com Medvedev por telefone, na segunda-feira. Foi o primeiro contato entre os dois desde a posse. Segundo a Casa Branca, ambos concordaram em tentar melhorar as relações bilaterais.Membros da equipe do presidente afirmam que Obama deve rever os planos de instalação de um escudo antimíssil na Europa. Os EUA pretendem reavaliar os custos e o progresso das pesquisas, mas ainda não deram qualquer sinal de cancelamento do programa. PUTINO primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, disse ontem no Fórum Econômico Mundial, em Davos, que espera uma "cooperação construtiva" com os EUA. "Desejo sucesso à equipe de Obama", disse Putin. "Espero que estabeleçam um cooperação construtiva com a Rússia."AP E REUTERS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.