Rússia tem mais de 1.000 soldados na Ucrânia, diz Otan

A Rússia tem "bem mais" de 1.000 soldados operando na Ucrânia, segundo um graduado oficial militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). "As forças russas estão ativamente engajadas nos combates no interior da Ucrânia", disse o oficial, em condição de anonimato. "Existem claras evidências de contato entre forças ucranianas e russas."

Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2014 | 10h29

Citando um "aumento real nas atividades russas", ele disse que "existe a face separatista nas operações, existe muito poder russo por trás disso".

Segundo a fonte, a Rússia se move sem território ucraniano, assim como intensifica sua presença na fronteira, que agora chega a 20 mil soldados. Para ele isso é uma resposta aos sucesso anterior das forças ucranianas.

"Está claro que a Rússia não está disposta a aceitar a derrota dos separatistas", disse o oficial. "É muito mais provável que faça qualquer coisa que precisar para evitar essa derrota."

Reagindo às afirmações de que as forças russas na Ucrânia são formadas por voluntários, ele afirmou que "Pode-se ter um bando de pessoas segurando armas ou uma força de combate eficaz. O que temos é a força de combate."

Dentre outras provas, o oficial citou fotografias da sofisticada artilharia russa autopropelida na Ucrânia. A operação de tais equipamentos exige grande habilidade e treinamento, disse ele.

As ações russas criaram efetivamente uma segunda frente para os ucranianos, afirmou o oficial, acrescentando que as recentes movimentações refletem uma mudança na estratégia russa, algo que forçado pelo sucesso militar da Ucrânia.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaOtansoldados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.