Rússia tira equipamentos de espionagem de Cuba

As Forças Armadas russas completaram a retirada de equipamentos de espionagem eletrônica de um centro que mantinham em Lourdes, Cuba, informou nesta sexta-feira a agência noticiosa russa Interfax. Foram necessárias duas semanas e uma dezena de vôos dos aviões de transporte militar An-124 para devolver os grandes equipamentos à Rússia, disse a agência, citando uma fonte anônima do Ministério da Defesa. Funcionários do ministério e da Força Aérea se negaram a fazer declarações. O presidente Vladimir Putin ordenou o fechamento da base de Lourdes em outubro, assim como o fechamento de uma base naval no Vietnã, medidas que o Kremlin justificou como de redução orçamentária. A decisão de abandonar as duas bases estrangeiras, símbolos do poderio da União Soviética durante a Guerra Fria, foi interpretada como parte da política de Putin para melhorar as relações com o Ocidente. A medida irritou as autoridades comunistas cubanas, que criticaram Moscou por não terem sido consultadas a respeito e acusaram Putin de capitular diante de Washington. Alguns legisladores russos também criticaram o presidente russo porque, disseram, estava se desfazendo gratuitamente de bens estratégicos. A estação receptora de sinais eletrônicos em Lourdes, a 20 km ao sul de Havana, foi construída dois anos após a crise dos mísseis de 1962.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.