Rússia transfere mísseis para região separatista da Geórgia

Para Moscou, medida visa defender região da Abecásia; governo georgiano protesta.

BBC Brasil, BBC

11 de agosto de 2010 | 17h03

A Força Aérea da Rússia anunciou nesta quarta-feira o posicionamento de mísseis terra-ar na Abecásia, região separatista da Geórgia que foi palco de uma breve guerra entre os dois países em agosto de 2008.

Por meio de um comunicado divulgado pelo governo russo, o general Alexander Zelin, comandante da Força Aérea, afirmou que o objetivo da medida é garantir a "defesa antiaérea dos territórios da Abecásia e da Ossétia do Sul", outro território separatista da Geórgia, um país do Cáucaso (região ao sul da Rússia).

A Rússia, que já possui bases militares nas duas regiões, é um dos poucos países do mundo que reconhece os territórios como independentes. A Geórgia, por sua vez, considera tanto a Ossétia do Sul como a Abecásia como parte de seu território.

O anúncio do governo russo é feito dias depois de o presidente do país, Dmitry Medvedev, ter feito uma visita não programada à região.

'Política imperial'

Por meio de um comunicado divulgado no site de seu Ministério das Relações Exteriores, o governo da Geórgia classificou as medidas como "extremamente perigosas e provocativas" e afirmou que elas representam uma ameaça "à segurança não só da região do Mar Negro, mas da Europa como um todo".

"O posicionamento do sistema antiaéreo no território ocupado da Abecásia é um exemplo da dimensão militar da política imperial da Rússia e uma tentativa de reanimar seu passado colonial", diz o comunicado.

"O Ministério das Relações Exteriores da Geórgia insiste que a comunidade internacional e as organizações internacionais devem tomar medidas decisivas para evitar a militarização russa do território ocupado, para desocupá-lo e cumprir suas obrigações, inclusive o acordo de cessar-fogo de 12 de agosto de 2008".

Em agosto de 2008, uma tentativa da Geórgia de recuperar o controle da Ossétia do Sul levou a uma guerra de cinco dias entre os dois países, que envolveu também a região da Abecásia. O conflito teve fim com um cessar-fogo mediado pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy.

De acordo com Richard Galpin, correspondente da BBC em Moscou, uma das teorias que explicam a decisão russa de levar mísseis à Abecásia é que o país estaria tentando mandar um recado à Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e aos Estados Unidos para que não ajudem a Geórgia a reconstruir sua força aérea.

O aniversário de dois anos do conflito tem sido usado pela Rússia para reforçar seus laços com as duas regiões separatistas.

Durante sua recente visita à Abecásia, Medvedev reiterou o apoio da Rússia à independência da região e prometeu mais ajuda financeira.

Além da Rússia, os únicos países que reconhecem a independência da Ossétia do Sul e da Abecásia são Venezuela, Nicarágua e a pequena ilha de Nauru, no Oceano Pacífico.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.