Rússia usa máquina de escrever para driblar espionagem

O Serviço de Proteção Federal da Rússia (FSO, na sigla em russo) está precisando de pelo menos 20 máquinas de escrever com o objetivo de contornar a espionagem eletrônica dos Estados Unidos, informa o jornal Izvestia.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2013 | 18h00

De acordo com o periódico, o FSO, uma das agências governamentais a sucederem a KGB após a extinção da União Soviética, está disposto a pagar o equivalente a até US$ 750 por máquina de escrever. Uma encomenda de 20 máquinas Triumph Adler foi autorizada nos últimos dias.

O FSO considerou necessário recorrer às máquinas de escrever depois da revelação da amplitude dos programas de espionagem eletrônica da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) feitas pelo ex-agente norte-americano Edward Snowden. Os vazamentos de informação realizados pelo WikiLeaks nos últimos anos também foram levados em consideração pela FSO.

O Izvestia informa que máquinas de escrever já foram utilizadas para redigir rascunhos de alguns documentos oficiais e de informes ao presidente da Rússia, Vladimir Putin.

O FSO não se pronunciou sobre o teor da reportagem. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.